quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Como fazer uma resenha

Ivan Carlo
Uma resenha, ao contrário do que imagina a maioria das pessoas, não é um resumo de uma obra. A resenha exige uma leitura atenta e conhecimento sobre o assunto a ser resenhado.

Historicamente, a resenha surgiu da necessidade de escolha en-tre diversos livros que estavam sendo publicados. Como escolher entre tantas obras? O resenhista era a pessoa que lia, fazia o comentário e dava ao leitor informações que permitiriam saber se interessava ou não ler a obra original. Essa função ainda é cumprida atualmente pelos cadernos de cultura dos jornais, que apresentam resenhas sobre livros, filmes e até CDs. Um interessante site de resenhas é o Digestivo Cultural.
Normalmente, também revistas científicas apresentam resenhas. Nesse caso, o resenhista deve ser um pouco mais cuidadoso, pois ele estará falando para pessoas especialistas em determinada área de conhecimento.
Muitos autores têm classificado a resenha, mas a que parece mais adequada é a divisão entre resenha literária e resenha científica. A literária se destina ao público leigo e tem menos elementos obrigatórios. O objetivo é apenas apresentar informações sobre uma determinada obra, dando ao leitor condições de escolher se quer ou não comprá-la.
A resenha científica deve, além disso, apresentar a importância científica da obra, o paradigma do autor, entre outras informações.
Abaixo, alguns elementos necessários a uma resenha:

Referência bibliográfica completa
O resenhista deve colocar, no início da resenha, todos os elementos bibliográficos, de acordo com as regras da ABNT. No caso de uma resenha literária, bastam o título do livro, o nome do autor e a editora.

Credenciais do autor
Informações sobre o autor, em especial sua formação universitária, títulos e livros publicados.

Resumo da obra (digesto)
Aqui se resume as idéias principais do autor. É aconselhável que dê uma visão geral da obra, e haja um aprofundamento de um capítulo ou mais.

Conclusões da autoria
Qual é a tese do autor? O que ele quer provar com seu livro? A que conclusões ele chega?

Metodologia
Qual foi a metodologia utilizada pelo autor? O texto é apenas um en-saio, ou é resultado de uma pesquisa de campo? Sua pesquisa é qualitativa ou quantitativa?

Quadro de referências do autor (paradigma)
Qual é o paradigma no qual o autor sustenta suas idéias? Cada área de conhecimento tem seus paradigmas específicos. Nas ciências sociais, por exemplo, há o paradigma marxista, o positivista/funcionalista, o estruturalista...

Crítica do resenhista
Esse é o momento em que o resenhista faz sua análise da obra. Qual a sua importância? Que contribuição ela traz para o seu campo de estudo. Como é a linguagem do autor? Simples, clara, complexa, rebuscada? O livro aprofunda os assunto estudados? Atenção: criticar não significa falar mal, mas falar com embasamento. Portanto, pode-se sim, elogiar a obra.

Indicações do resenhista
A quem se destina a obra? Quem poderia se interessar por ela? O lei-tor precisa ter algum tipo de conhecimento prévio para compreender o livro? É um dos itens mais importantes da resenha.

Nem sempre é possível fazer uma resenha com todos esses elementos e já li ótimas resenhas que não de fato não tinham um ou mais elementos apresentados acima.
Também é importante dizer que esses elementos foram divididos por questões didáticas, mas a maioria dos autores faz um texto corrido no qual aparecem as informações necessárias de uma resenha.
A resenha científica deve evitar expressões pessoais.

Clique aqui para ler uma resenha literária e aqui para ler uma resenha de um livro na área do Direito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário